Neurologista em Taubaté

Neurologia

Neurologista em Taubaté

Neurologista em Taubaté: profissional que trata disfunções e moléstias neurológicas, utilizando procedimentos para preveni-las e combatê-las. Conhecedor profundo dos órgãos, sistemas e aparelhos humanos, realiza diagnósticos, solicita exames e cirurgias. Auxilia na prevenção e cura de doenças. Proporciona qualidade de vida e bem estar físico, mental e social ao indivíduo. Apoia e auxilia na resolução de problemas através de orientação, medicação e cirurgia.

Perfil do Neurologista em Taubaté

  • Estudioso;
  • Responsável;
  • Solidário;
  • Relacionamento Social;
  • Capacidade de Decisão;
  • Paciência;
  • Equilíbrio Emocional.

Formação

O neurologista deve cursar medicina, em instituições regulamentadas pelo MEC, e creditado pelos conselhos em medicina. Além de realizar a especialização na área, através de pós graduação e residência. O neurologista precisa estar preparado para uma aprendizagem constante, o exercício da medicina necessita permanente atualização além da faculdade. Para acompanhar a evolução é necessário realizar cursos de especialização, participar de eventos e congressos e outros que auxiliem sua atualização. O clínico geral sempre será estudante em desenvolvimento.

Atividades

  • Consultas Clínicas;
  • Exames e Diagnósticos;
  • Prescrever Medicação;
  • Realizar Cirurgias;
  • Tratar Doenças;
  • Manter Registros;
  • Emitir Atestado e Pareceres;
  • Coordenar Serviços Hospitalares.

Especialidades e Àreas de Atuação

O neurologista após conclusão da graduação inicia uma etapa importante de estudos, no regime de residência médica, destinado a formar profissionais especialistas nos diferentes campos da medicina. Ministradas em instituições de saúde particulares ou públicas por médicos com maior experiência profissional, a residência pode ser realizada em regime de plantões ou internato. A residência dura em média dois anos.

Saiba mais

A medicina nasceu na Antigüidade, com Hipócrates. A partir daí, os gregos se tornaram pioneiros no estudo das doenças. Na Era Medieval, o uso de sanguessugas para sangrias era a principal técnica para "tratar" qualquer doença. Os avanços científicos nessa época foram muito poucos por causa da intervenção da Igreja, que fazia pressão sobre as pesquisas. No período do Renascimento (séculos XV e XVI), a Medicina evoluiu bastante e os médicos procuravam explicações para todos os tipos de doenças. William Harvey descobriu o sistema circulatório no século XVII, trazendo grande progresso e entendimento mais profundo da fisiolgia e anatomia desse sistema. A invenção do microscópio por Louis Pasteur, no século XIX, gerou significativo avanço na área. Com as novas descobertas e tecnologias, a evolução da medicina foi imensa, e, atualmente, temos técnicas para tratamento de quase todas as enfermidades.